A importância da comunicação

• Para que serve a comunicação?

• Estilos de Comunicação

• Qual o melhor estilo de comunicação para as crianças com PHDA?


“Comunicar fortalece relações, diminuindo a probabilidade
de mal-entendidos e conflitos…”

 

Para que serve a comunicação?

A comunicação serve para estabelecermos contato com as pessoas, para dar ou receber informação, para expressar o que pensamos, para transmitir os nossos sentimentos, os nossos valores, as nossas experiências com os outros, fortalecendo e estreitando relações. 

 

Entre pais e filhos é importante que se estabeleça uma comunicação bidirecional, onde quer o pai/mãe, como o filho(a), tenha espaço para falar e para se sentir ouvido(a).

 

Nas crianças com PHDA, a comunicação é fundamental, nomeadamente para mediar a gestão das emoções e/ou dos comportamentos da criança. Permite a criação de um tempo para refletir sobre a intensidade excessiva dos seus próprios comportamentos ou atitudes. O apoio direto da figura parental é essencial para ajudar a criança a descodificar e a compreender algumas situações, de forma a encontrar novos caminhos mais ajustados e com maior probabilidade de sucesso.

 

A criação deste tempo favorece a interiorização da importância do “pensar antes de agir” e, consequentemente, de uma maior capacidade de autocontrolo.

Voltar ao topo

 

Estilos de Comunicação

Existem diversos estilos de comunicação com diferentes características.

Principais estilos de comunicação

e

Características associadas

Agressivo Passivo Assertivo
Respeito pelos direitos e sentimentos dos outros Não respeita o dos outros

Não respeita os próprios

Respeita os seus e os dos outros
Manifestação de opiniões e sentimentos Acusa o outro Não é capaz, só faz manifestações indiretas Exprime-se de forma direta, honesta e apropriada
Atitude geral Dominância Submissão Confiança
Comportamentos Reivindicativo;
não reconhece erros; fala alto; interrompe e faz afirmações que impedem o outro de se sentir bem consigo mesmo.
Dificuldade em dizer “não”; dificuldade em tomar decisões; denota ansiedade e insegurança. A postura adequa-se ao conteúdo verbalizada; é claro e objetivo; olha os outros nos olhos; facilita a expressão dos outros.
Possíveis causas/motivos Sentimentos de revolta e frustração; Situações constantes de conflitos e rivalidades. Educação severa; inibição educativa; medo de falhar; sobrevalorização dos outros e depreciação do próprio. Educação com base na confiança e no respeito mútuo.
Consequências Dificuldades em estabelecer relações íntimas e de confiança. É explorado e diminuído pelos outros, com frequência. Cativa a admiração dos outros; reduz tensões e mal-entendidos nas relações sociais; diminuiu a probabilidade de conflitos.

Voltar ao topo

 

Qual o melhor estilo de comunicação para as crianças com PHDA?

Muitos autores defendem que o estilo assertivo é o mais característico de famílias que tendem a desenvolver e a manter um estilo de vida que enfatiza o diálogo, a paciência, a colaboração,bem como uma vontade de se ouvir e fazer-se ouvir pelos outros.

 

Este estilo privilegia a comunicação, por isso deve também ser privilegiado.

 

Vários autores defendem que os pais que dão pouco feedback, e não se envolvem, são negativamente correlacionados às aspirações de conquista.

 

Pelo contrário, os pais que apoiam as crianças nas suas ideias, estão positivamente associados a expectativas positivas e de realização. Para as crianças com PHDA, as expectativas de realização são de extrema importância, nomeadamente ao nível da motivação para as tarefas.

 

A motivação é também considerada um fator importante, capaz de influenciar a capacidade de atenção, pelo que o sucesso da comunicação com crianças com PHDA terá um forte contributo nas suas capacidades de motivação e, consequentemente, atenção para o(s) conteúdo(s) desejado(s).

Voltar ao topo