Problemas do Sono e PHDA

Os problemas do sono e PHDA andam muitas vezes de mãos dadas. Nesta secção explicamos porque é que não podemos ignorar os problemas do sono e como podem ser enfrentados.

Diversos estudos científicos têm demonstrado que a privação do tempo de sono necessário se associa a défice de atenção, irritabilidade, dificuldade na resolução de problemas, maior risco de acidentes e até com o excesso de peso. Se as crianças com PHDA já têm diversos problemas desta lista mesmo quando dormem bem, com a falta de sono só podem piorar.

 

As queixas mais frequentes dos pais são a resistência em ir para a cama e a dificuldade em adormecer sozinho. A consequência é que a criança se deita tarde, demora a adormecer e dorme poucas horas. De manhã demora a acordar ou está muito irritada e não se organiza com as rotinas da manhã.

 

Algumas crianças também acordam muito cedo, especialmente nos dias sem escola, muitas vezes na expetativa de começarem a ver televisão ou a jogar consola.

O tempo de sono recomendado na idade escolar é de 9-10 horas. As 8h recomendadas para os adultos não são suficientes. Algumas pessoas (poucas) poderão ficar bem com menos horas de sono, mas se o seu filho dorme mais quando pode ou parece sonolento na parte da tarde, então está a precisar de dormir mais do que dorme atualmente.

 

Conselhos práticos:

  1. Procure preservar um tempo em família no fim do dia em que possam conversar e ter alguma atividade positiva em comum.
  2. Faça as contas da hora de deitar necessária para garantir as 9-10 horas de sono na idade escolar (abaixo dos 10 anos a maioria beneficia de estar deitado 10h). Podem ser necessários ajustamentos nos horários e atividades a curto-médio prazo (e decisões difíceis!) para permitir o tempo de sono necessário – faça o seu melhor nesse sentido. Veja também os conselhos sobre os TPC.
  3. É importante estudar a programação da televisão e decidir quais são os programas que pode ver. As gravações automáticas resolvem alguns problemas – pode sempre ver o episódio do dia anterior mais cedo!
  4. O ideal é fazer uma pausa de todos os ecrãs (TV, tablet, telemóvel) meia hora antes de ir para a cama, porque a luz clara dos mesmos pode afastar o sono.
  5. Evite bebidas estimulantes como as colas, chá estimulante, etc, 4 horas antes de deitar.
  6. Decida quais são regras da hora de desligar TV, programas permitidos, hora de ir para a cama nos dias de escola, com a negociação possível. Podem até estar escritas e afixadas em lugar visível, para serem lembradas, pois são mesmo para cumprir. Pode fazer avisos quando a hora está a chegar para o seu filho não ser apanhado “de surpresa”.
  7. Crie uma rotina agradável como a leitura de uma história já no quarto.
  8. Adormecer a ver televisão não é uma boa solução – atrasa o adormecer, pode expor a conteúdos impróprios para a idade, assustadores, e está associado a sono mais agitado.  Se necessário, a televisão pode ter de sair do quarto.
  9. Para aprender a adormecer sozinho, pode ser necessário o pai ou a mãe estarem sentados ao lado da cama da criança (não deitados na mesma cama). Quando adormecer mais facilmente, pode ausentar-se por períodos ou em definitivo, garantindo que está por perto.
  10. De manhã, ao fim de semana, defina a partir de que horas se pode ligar o ecrã. Se não cumprir, a utilização do ecrã “faz umas férias”! Esta medida pode ajudar a não se levantar demasiado cedo.

Coragem!

Mudar comportamentos não é fácil nem ocorre de um momento para o outro – prepare-se para a resistência! É preciso ser afetuoso, mas não ceder e ser persistente – afinal, são a saúde e bem estar do seu filho ou da sua filha que estão em jogo. Com a sua persistência, a resistência e as birras devem diminuir.

 

Devo falar sobre isto com o médico?

Se os problemas forem resistentes, deve falar sobre isso com o seu médico. Também se a criança ressonar de forma persistente ou se se queixar de dores nas pernas, picadas ou outro desconforto na hora de adormecer de forma persistente.

 

Voltar ao topo