Importância da relação e da comunicação

A chave para uma gestão eficaz da sala-de-aula poderá estar, de acordo com alguns autores, na construção de relações positivas entre o professor e o aluno, reforçadas por um estilo de comunicação assertivo e bidirecional. As crianças trabalham com maior gosto e investimento e são mais cooperantes com adultos de quem gostam e com quem estabelecem uma relação de maior confiança e de respeito.

 

Neste contexto, é importante que o professor reúna esforços que lhe permitam conhecer melhor a criança na sua individualidade (caraterísticas, interesses, dificuldades, potencialidades, entre outros aspetos), demonstrando que se preocupa realmente com o seu futuro e com o(s) seu(s) sucesso(s). No caso das crianças com PHDA, o estabelecimento de relações positivas poderá constituir-se como um elemento de elevado reforço e motivação.

 

Assim, no caso dos alunos com PHDA, poderão adotar-se algumas estratégias:

- comunicar com entusiasmo e motivação para a turma;
- evitar o uso de linguagem abstrata (mensagens com duplos sentidos), metáforas ou trocadilhos;
- mostrar-se empático e sensível face a alunos com dificuldades específicas;
- destacar a informação importante;
- utilizar frases curtas, objetivas e reduzidas ao essencial o tema em estudo;
- chamar a atenção do aluno antes de ensinar aspetos chave;
- familiarizar o aluno com o novo vocabulário, por exemplo, através de dicionários temáticos/visuais;
- manter o sentido de humor;
- encontrar momentos que permitam uma maior aproximação pessoal;
- privilegiar a comunicação com os alunos e com as respetivas famílias;
- evitar críticas destrutivas e/ou situações embaraçosas para os alunos
– sempre que as chamadas de atenção foram necessárias, evitar fazê-lo junto aos colegas, privilegiando o contato e o feedback individualizado.